terça-feira, 13 de outubro de 2020

Líder comunitário e ex-assessor tem candidatura apoiada por Ramos Filho

Ramos Filho e o apoio a seu ex-assessor, Francis

Em meio a enorme crise provocada pela pandemia, um novo assunto tornou-se corriqueiro nos quatro cantos da cidade de Eunápolis: “eleição 2020” e a nova composição do Poder Legislativo. Órbita importante para apresentações de propostas, debates e de intervenções positivas na política seus concorrentes tornaram-se alvo da curiosidade e até de apostas.

Dentre eles surge o nome do candidato indicado pelo empresário e vereador Ramos Filho (PTC), que resolveu apoiar seu ex-assessor, Franskley Gabriel Souza Oliveira, o Francis.

[ads id="ads1"]

Desde o início do segundo mandato, em 2017, Ramos já avisara que não seria mais candidato. O fato novo foi a indicação de Francis, que diz que “foi pego de surpresa”.

“Pra mim isso tudo é muito novo porque na verdade eu sempre trabalhei nos bastidores, mas pretendo honrar essa oportunidade e concorrer às eleições na cidade onde sou nativo, com a vontade de poder ajudar as pessoas que estão, socialmente, na mesma condição que eu”, avisa.

ASSESSOR - Aos 34 anos, casado, às vésperas de ser pai, Francis é um homem de origem humilde que, aos 10 anos de idade conheceu o mundo da política porque seu pai, Ademar, já participava das campanhas de Lucas Leite. Quando o pai morreu, ele, que era amigo de Rômulo, irmão de Ramos Filho, passou a ajudar na campanha do Dr. Ramos, que foi candidato a prefeito da cidade que ajudou a emancipar.

Em 2012 passou a trabalhar com Ramos Filho, chegando a ser assessor do vereador “e de lá pra cá não separou mais”, revela, orgulhoso de fazer parte do rol dos amigos e das pessoas da confiança do parlamentar.

Questionado sobre estar preparado para o cargo, Francis recorre ao ditado popular que diz “que Deus não te dá um fardo que você não possa carregar”. Sem falsa modéstia, Francis diz que se sente preparado, sim. “Porque eu já trabalho com Ramos já tem quase 10 anos, eu sei da história dele, eu o acompanho, sei o que ele pensa sobre a Câmara, e sei que ele, mesmo sendo candidato, em outras campanhas, sempre apoiou outros concorrentes com o intuito de ajudar a criou novas lideranças para compor o parlamento municipal”, diz. Segundo o candidato, não é a primeira vez que Ramos age assim.

DIÁLOGO - Enfim, a possibilidade de assumir uma das 17 vagas na Câmara de Vereadores de Eunápolis não parece ser “bicho de sete cabeças” para um homem do povo que diz que já fez quase tudo nesta vida. 

“A população quer renovação. Quer representantes que dialoguem com toda a sociedade e por isso meu gabinete vai estar de portas abertas para ouvir as necessidades de gente que vem de baixo, como eu”, frisa.

E assim Francis parte para um novo desafio prometendo dar continuidade ao trabalho que Ramos Filho vem fazendo na Câmara, além de fiscalizar o legislativo e legislar em favor da comunidade. “Sou do povo, sai de baixo e sei a necessidade das pessoas que estão na mesma condição social e econômica que eu”, enfatiza.

[ads id="ads2"]

Se eleito, Francis já sabe qual seu primeiro projeto de lei. Inspirado no exemplo de uma ex-gari, conhecida como Branca, moradora do bairro da Sapucaieira, que após muito esforço formou-se professora, com cinco pós-graduações, ele diz que vai propor a regulamentação do trabalho dos garis, porque até então é uma função terceirizada e precarizada pelas empresas que fazem a coleta de lixo da cidade.

”Não são concursados, não têm direito a plano de saúde e quando a empresa perde a licitação da coleta de lixo eles ficam desempregados”, condenou.

Marcadores: , ,