O diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas

A Coronavac, vacina chinesa que está sendo testada no Brasil, provocou efeitos colaterais leves em 35% dos voluntários, o que faz dela, segundo o presidente do Instituto Butantan, Dimas Covas, o imunizante contra a Covid-19 mais seguro em teste no país no momento. Falta demonstrar a eficácia da vacina, fase que os pesquisadores esperam concluir até novembro.

[ads id="ads1"]

Só então os resultados serão enviados à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que deu prazo de até 60 dias para se pronunciar sobre o registro da vacina chinesa. Com isso, o governo de São Paulo, que previa a vacinação em dezembro, trabalha agora com plano de imunização somente a partir de janeiro.

Em paralelo: o fundo soberano russo responsável pelo financiamento da vacina Sputnik V informou intenção de começar a produzir o imunizante no Brasil em dezembro. A Anvisa também precisa aprovar o produto e os ensaios clínicos.

[ads id="ads2"]

O que foi dito: o presidente Jair Bolsonaro voltou a afirmar que a vacina contra o coronavírus não será obrigatória. “Meu ministro da Saúde já disse e ponto final”, declarou.

Em destaque: o mundo ultrapassou a marca dos 40 milhões de pessoas infectadas pelo coronavírus. Ao todo, mais de 1,1 milhão de pessoas morreram.

De O Globo