Ministério quer que supermercados e produtores expliquem aumentos

A Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), órgão do Ministério da Justiça, notificou empresas, associações de produtores de alimentos e redes de supermercados pedindo explicações para a alta dos preços de itens da cesta básica.

Segundo O Globo, o órgão afirma que o objetivo é mapear a cadeia de produção para determinar a atuação do governo contra a inflação dos produtos — arroz, feijão e óleo de soja já acumulam alta de cerca de 20% neste ano. 

[ads id="ads1"]

No entanto, as empresas podem ser multadas caso sejam constatadas práticas de preço abusivo. Para economista da FGV, a notificação é descabida, já que não há indícios de abuso.

Em paralelo, informa O Globo, a Câmara de Comércio Exterior (Camex) retirou a tarifa de importação do arroz até o fim do ano, medida que permitirá a entrada no Brasil de até 400 mil toneladas do produto.

Na quarta-feira (09), um dia após fazer apelo aos donos de mercados do país, o presidente Jair Bolsonaro recebeu o presidente da Associação Brasileira de Supermercados, João Sanzovo, que deixou a reunião defendendo os empresários: “Nós não vamos ser vilões de uma coisa pela qual não somos responsáveis, e muito pelo contrário”, afirmou.

[ads id="ads1"]

Já o vice-presidente Hamilton Mourão disse que o aumento nas prateleiras está ligado ao auxílio emergencial. “As pessoas estão se alimentando melhor e melhorando as suas casas”, declarou.