Desembargador não estava entre os “favoritos” para o STF

Kassio Nunes Marques, desembargador do Tribunal Regional Federal da 1ª Região, é o escolhido pelo presidente Jair Bolsonaro para assumir a vaga no Supremo Tribunal Federal que será aberta com a aposentadoria do ministro Celso de Mello em outubro, informa o colunista Lauro Jardim, em sua coluna no jornal O Globo.

O desembargador não estava entre os “favoritos” para o STF; em vez disso, ele tentava uma indicação ao Superior Tribunal de Justiça. Terça-feira (29/09), esteve com Bolsonaro no Palácio do Planalto e, em seguida, na casa do ministro Gilmar Mendes. O presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e integrantes do STF foram informados da decisão.

[ads id="ads1"]

A articulação para a indicação de Kassio Nunes teve a participação do senador Ciro Nogueira, presidente do PP e líder do Centrão. Próximo de Bolsonaro, Ciro Nogueira tem sido chamado de “05”, em referência à forma como o presidente trata os filhos. O desembargador também tem apoio de parlamentares do Centrão e do senador Flávio Bolsonaro.

Ministros do Supremo acreditam que a indicação ainda não está totalmente definida. Até a formalização do nome, Bolsonaro pode mudar de ideia. Interlocutores do presidente ainda trabalham ativamente em defesa de outros candidatos.

O advogado piauiense e chegou ao TRF-1 em 2011 na cota de vagas destinadas à advocacia, chamadas de quinto constitucional, em nomeação confirmada pela ex-presidente Dilma Rousseff. Ele é católico e é considerado por pares um magistrado produtivo. Em entrevista, já defendeu que a prisão após condenação em segunda instância não deve ser obrigatória. Em maio do ano passado, liberou licitação do STF para compra de lagostas e vinhos caros.

[ads id="ads2"]

“Entendo que seja uma tentativa do presidente de demonstrar ao STF respeito e entendimento de que não poderia escolher alguém que ‘toma cerveja’ com ele. Mostrou que, na prática, acha que não deve fazer o que estava anunciando. Foi um gesto de aproximação e respeito com o STF”, avalia o jornalista Merval Pereira, também em O Globo.