Freepik
Conheça as regras sobre a modalidade junto aos bancos 
Se você tem algum tipo de empréstimo ou dívida em banco, com certeza já ouviu falar sobre a portabilidade de crédito. Existente desde 2013, às regras da operação foram definidas pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) a fim de estimular a concorrência entre os bancos a partir da premissa da aplicação de taxas de juros menores.

A portabilidade financeira nada mais é do que uma ferramenta que possibilita a qualquer pessoa amortizar a sua dívida, solicitando a transferência de um banco ao outro na busca por melhores taxas de juros. Entre os motivos que popularizam o serviço estão: a oferta de taxa de juros mais baixas e qualidade na prestação do serviço.

O que algumas pessoas não sabem é que esse recurso também está disponível para negócios realizados no mercado imobiliário, como no caso de casas à venda em Salvador. Caso você tenha realizado um financiamento com o objetivo de viabilizar a compra do seu imóvel, também é possível solicitar a portabilidade a fim de dar continuidade ao pagamento do empréstimo com condições mais vantajosas.

Mas é importante destacar que existem algumas regras para realizar a transação. Além das práticas comuns no mercado financeiro, quando a operação envolve imóveis à venda em Salvador, é preciso que a unidade esteja finalizada, não sendo possível realizar a transferência com imóveis em construção ou ainda na planta. Agora que você já conhece mais sobre a portabilidade de crédito, veja como essa funcionalidade se aplica em negócios para o pagamento de imóveis. Veja mais a seguir:

Regras da portabilidade de financiamento imobiliário

Antes de avaliar as condições de cada banco, é importante ter em mente que todas as transferências de dívidas bancárias são regulamentadas pelo Banco Central do Brasil, responsável por fiscalizar a validade das operações.

Uma das características da portabilidade de financiamento é a de que todo o processo é realizado entre os bancos, o que facilita a negociação para o cliente. Ao optar pela transferência, a instituição financeira é responsável por disponibilizar todas as informações a respeito das parcelas, quanto ainda falta para quitar a dívida, quais são as formas disponíveis de parcelamento.

Outro ponto importante está relacionado ao fluxo de informações. Além de disponibilizar os dados sobre o empréstimo do cliente, é fundamental que isso aconteça de forma ágil. Assim, o banco em que o financiamento está registrado tem o prazo de dois dias para entregar os dados ao banco vigente da transferência. Após apresentar as informações, o banco emissor ainda tem o prazo de cinco dias para realizar uma contraproposta ao cliente, com novas condições que o permitam tomar a decisão entre permanecer ou transferir seu empréstimo.

A respeito das informações sobre as novas condições de pagamento, o cliente deve ter muita atenção quanto a proposta e a própria assinatura do contrato. Deve haver a conferência quanto a informações como dados pessoais e de contato, para que não haja erros. Também é muito importante verificar o número do contrato da operação de crédito onde o empréstimo foi realizado a fim de cruzar a informação com os dados do novo banco. Isso é importante para verificar quais serão as novas taxas de juros, o custo total, o prazo, a forma de pagamento e ainda o valor das prestações, a fim de garantir o benefício em realizar a operação.

Quando optar por realizar a portabilidade do financiamento? 

Cumprindo todas as regras conforme as diretrizes do governo para a portabilidade e as condições da instituição financeira de interesse, o momento ideal de realizar a transferência do financiamento imobiliário é quando o cliente identificar um banco que ofereça melhores condições para o pagamento da dívida em questão.

O novo banco escolhido deve apresentar taxas de juros mais baixas, por isso antes de assinar contrato é interesse avaliar as oportunidades oferecidas por diferentes instituições. Também é importante destacar que apenas a taxa de juros mais baixas não são o suficiente para facilitar o pagamento do financiamento. Outro ponto que o cliente deve estar atento é ao Custo Efetivo Total (CET), que mostra qual o valor do todo o empréstimo, até a quitação da dívida. Por isso, fazer uma análise completa da proposta e observar o CET é fundamental para decidir se a portabilidade será vantajosa ou não.

Quais cuidados tomar na hora de solicitar a portabilidade? 

A portabilidade veio representar ao cliente uma opção vantajosa de crédito, com o objetivo de permitir realizar o pagamento do financiamento de forma mais tranquila e se possível, mais econômica. Entretanto uma escolha errada pode acabar dificultando a situação, do que efetivamente melhorando. Para não acabar em meio a esta situação é preciso tomar alguns cuidados na hora de transferir o seu financiamento imobiliário para outro banco. Assim como na hora de pesquisar um apartamento à venda em Salvador é importante realizar uma pesquisa completa que permita compreender a fundo quais são as condições, as taxas e juros, além dos benefícios que aquele banco se propõe a oferecer junto ao seu cliente. Além de avaliar as opções em financiamento é necessário ficar atento a uma prática comum no mercado de crédito: a venda casada. É quando o banco utiliza a portabilidade de financiamento como porta de entrada para oferecer outros serviços como cartão de crédito, possibilidade de investimento ou demais recursos que não foram solicitados pelo cliente. Esses serviços podem ter um custo adicional, o que anularia a possibilidade de redução da dívida e com isso a vantagem em estar realizando o financiamento. Esteja atento a essa situação na hora de buscar uma alternativa para a sua dívida, uma vez que a prática de venda casada é considerada ilegal e está prevista no Código de Defesa do Consumidor, artigo 39, I. Por isso vale ressaltar que ao transferir sua dívida, o cliente não pode ser obrigado a abrir uma conta no novo banco. Outro cuidado importante que o cliente deve ter é em relação a possíveis custos de transferência, uma vez que o banco novo não pode cobrar para realizar a portabilidade, sendo esse um serviço gratuito no mercado de crédito no Brasil.

Curtiu? Compartilhe em suas redes sociais!