Além do medo por causa dos deslizamentos de rochas no povoado de São João do Sul, que fica em Guaratinga, os moradores temem que o bloqueio do curso de um rio que passa pelo local, motivado pela queda das pedras, cause novos prejuízos. Eles contam que cerca de sete hectares de terra já foram inundados.

No dia 21 de junho, um deslizamento ocorreu em um monte de pedras, de cerca de 600 metros, que fica no local. Na ocasião, a avalanche bloqueou o curso do rio e deu origem a uma represa que inundou quase sete hectares de terra.

A Defesa Civil esteve no local e pediu para os moradores se afastarem. Mas os produtores rurais da região pedem o apoio da prefeitura para que o curso do rio seja desbloqueado.

“Vamos entrar em contato com eles, para eles mandarem a máquina para ajudar essa água que está descendo. O perigo é que ela está represada e, com a chuva de pedras, a água pode aumentar e empurrar para baixo, que ainda ficou plantação aí para baixo, e causar mais prejuízo ainda”, disse o produtor Aldo Assis.

Já foram registrados outros dois deslizamentos de rochas em Guaratinga. O primeiro aconteceu em maio de 2018, quando uma rocha com cerca de 50 toneladas despencou de um paredão e destruiu parte da plantação de uma propriedade. Não houve feridos.

O último registro aconteceu em fevereiro do ano passado, na localidade do Córrego do Ouro, na zona rural de Guaratinga. Uma semana antes, a cidade teve tremores de terra de 2,5 graus na escala Richter.

Do G1