A Polícia Militar impediu que um homem fosse morto pelo 'tribunal do crime', no bairro Arnaldão, em Eunápolis, no início da noite de sexta-feira (05).

Lucas Ribeiro da Silva, 24 anos, seria executado por membros de uma facção criminosa, porque, horas antes, teria esfaqueado uma moradora da comunidade.

Quando avistaram os policiais se aproximando, os bandidos fugiram. Lucas saiu do mato com as mãos amarradas. Ele relatou que seria morto por cerca de 10 homens. Os policiais tinham ido ao local após denúncia de moradores.

Segundo a polícia, Lucas confessou que esfaqueou a mulher de 29 anos. Ele declarou ainda que teve um relacionamento de dois anos com ela, mas que já há algum tempo os dois estavam separados. O acusado falou ainda que tentou matar a mulher porque, recentemente, descobriu que foi traído por ela.

A mulher, no entanto, disse que é casada e que nunca teve qualquer tipo de relação com Lucas. Ela está em observação no Hospital Regional.

O acusado afirmou que é alcoólatra, faz uso de medicamento controlado e é acompanhado pelo Caps, o Centro de Atenção Psicossocial. Ele foi autuado em flagrante por tentativa de homicídio.