A atuação sofisticada de uma quadrilha de roubo a banco chamou atenção da Polícia Civil do Distrito Federal.

Cinco funcionários terceirizados do Banco do Brasil na madrugada de segunda-feira (05), por força de mandados judiciais.

O grupo - que chegou a agir no extremo sul da Bahia, é suspeito de facilitar ataques a cofres de bancos, desativando os sistemas de alarme ou retardando o tratamento do sinistro e o acionamento da polícia.

PRISÃO EM PORTO SEGURO  - Em 29 de novembro de 2019, em Teixeira de Freitas, sul da Bahia, foi furtada a quantia aproximada de R$ 1 milhão. Três dias depois, parte do grupo foi presa no Aeroporto de Porto Seguro, com R$ 760 mil em várias malas.

Em um assalto registrado no dia 25 de abril deste ano, no município de Anápolis (GO), a quadrilha chegou a romper fios de um poste para cortar a energia da agência. Na ocasião levaram R$ 924 mil.

A investigação aponta que o grupo agia em conluio há pelo menos dois anos e teria faturado cerca de R$ 3 milhões com os roubos.