Em entrevista ao jornalista Jamil Chade, colunista do UOL, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta disse que o surto de covid-19 que já matou 13.149 pessoas no Brasil vive ainda suas primeiras semanas.

Para Mandetta, que não descarta que o número diário de mortes no Brasil ultrapasse a marca dos mil casos, o pico da covid-19 apenas está no começo.

"A população não sabe para que lado ela vai. Eu dizia uma coisa e o presidente (Jair Bolsonaro) dizia outra", afirmou Mandetta. Segundo o ex-ministro, o "tempo vai dizer" qual dos dois estava certo.

O ex-ministro também observou que o Brasil já está pagando o preço dos atritos que o governo de Jair Bolsonaro (sem partido) criou com a China em plena pandemia do coronavírus. Ele cita a dificuldade do Brasil em conseguir material de saúde, como máscaras e respiradores, com a China.

Mandetta se preocupa com o posicionamento do governo brasileiro em relação à China, principalmente com as posições do chanceler Ernesto Araújo. "A impressão que eu tenho é que, num local cheio de pólvora, o Itamaraty entra fumando", afirmou o ex-ministro.