A Prefeitura de Porto Seguro está pagando um auxílio emergencial aos servidores contratados da Educação que tiveram contratos suspensos por conta da interrupção das atividades escolares provocada pela pandemia do novo coronavírus.

Segundo a Secretaria de Educação, mesmo com a considerável queda na arrecadação municipal, a gestão está fazendo um grande esforço para garantir um apoio a essas famílias neste momento de crise.

Cerca de 1.400 servidores estão recebendo um auxílio de R$ 700 pelo período de três meses e o décimo terceiro proporcional. A primeira parcela e o décimo já foram pagos. O montante aplicado será de R$ 980 mil por mês, totalizando quase R$ 3 milhões, além de aproximadamente R$ 350 mil referentes ao décimo terceiro.

Ainda segundo a Comunicação, preocupada em garantir a manutenção das atividades essenciais do município, bem como o pagamento da folha e os compromissos com os fornecedores, “a Prefeitura de Porto Seguro está precisando tomar alguma medidas que garantam o equilíbrio das contas”.

Desta maneira, os servidores lotados em funções que foram temporariamente suspensas tiveram seus contratos interrompidos. Benefícios e vantagens como regência de classe, insalubridade, adicional noturno, hora extra, auxílio transporte, gratificação de difícil acesso, entre outros, também foram temporariamente suspensos.

A prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, afirma que o momento é de crise e que a queda na arrecadação já está impactando nos cofres públicos. "Estamos fazendo uma verdadeira ginástica e sofrendo com a queda na arrecadação. Mas estamos trabalhando, estudando e criando soluções que mantenham nossas contas em equilíbrio para enfrentarmos esse momento que, com muita fé, passará logo", avaliou a prefeita.