Um ônibus que transportava sacoleiros foi fiscalizado pela Polícia Rodoviária Federal na BR-101, em Eunápolis, por volta das 10h da manhã desta terça-feira (19). Diversas mercadorias, sem nota fiscal, foram apreendidas.

O veículo foi fretado por um grupo de comerciantes que costuma comprar produtos eletrônicos em São Paulo. Havia 31 passageiros no ônibus, inclusive crianças e idosos. A maioria era de Eunápolis.

Como os sacoleiros retornavam da capital paulista, epicentro do coronavírus no país, a polícia acionou a Vigilância Sanitária.


A diretora do órgão, Helen Domiciano, informou ao RADAR 64 que os passageiros passaram por uma triagem, com o objetivo de identificar se havia alguém com febre, tosse ou algum outro sintoma associado ao coronavírus.

"Como não detectamos sintomas e nenhum deles também fez qualquer relato, os liberamos, mas todos serão acompanhados por sete dias pela Sala de Situação da Covid-19. Como o veículo também transportava pessoas de Porto Seguro e do distrito de Trancoso comunicados o fato aos órgãos de saúde daquele município, que também devem adotar os mesmos procedimentos", afirmou a diretora da vigilância.


O ônibus pertence a uma empresa com sede em Eunápolis. O proprietário informou que tem autorização da ANTT - Agência Nacional de Transporte Terrestre, para atuar no segmento de turismo. Ele disse ainda que adotou todos os protocolos de segurança e higienização para evitar contágio por Covid-19. O município de Eunápolis vai investigar se há desvio de finalidade.

O decreto do governo do estado publicado em março, suspendendo a circulação do transporte de ônibus interestaduais em território da Bahia expirou na segunda-feira (18). Mas o governador Rui Costa já anunciou que vai baixar, ainda nesta terça (19), um novo decreto nos mesmos moldes.

Decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) garante autonomia a prefeitos e governadores determinarem medidas para o enfrentamento ao coronavírus.

CASO SEMELHANTE

Em 8 de abril, um ônibus que também trazia sacoleiros de São Paulo foi parado na BR-101, em Eunápolis. Na ocasião, a empresa de turismo foi multada em R$ 10 mil, por descumprir o decreto do Governo do Estado, que proíbe a circulação de transporte interestadual em território baiano, como medida de combate ao avanço da Covid-19