A prefeita de Porto Seguro, Cláudia Oliveira, recebeu representantes dos empresários do município segunda-feira (12) para diálogo sobre a reabertura gradual dos estabelecimentos comerciais da cidade.

Estavam presentes os empresários Vinícius Brandão (Empresários Unidos de Porto Seguro), Borô Azevedo (Empresários Unidos do Baianão), os vereadores Lázaro e Ariana Felhberg (que foram os interlocutores do encontro), vereador e líder do governo na Câmara, Rodrigo Borges, comandante do 8º BPM, tenente-coronel Anacleto França, os secretários municipais Kerrys Ruas (Saúde), Cezar Aguiar (Comunicação) e Josemar Siquara (chefe de gabinete).

No encontro, foram entregues três propostas por parte do empresariado. A prefeita afirmou que recebeu os documentos e que vai analisar cada ponto proposto. Ela acrescenta que já está sendo elaborado um plano de ação da gestão municipal.

"No próximo dia 15, quando expira o prazo do nosso último decreto municipal, vamos divulgar algumas novas medidas que levam em consideração as questões de saúde e segurança, mas também a retomada gradual do comércio, cientes da importância da manutenção do emprego e da renda na cidade, sempre com muita responsabilidade sobre a saúde e a vida", afirmou a gestora.


Conforme a prefeitura Cláudia, todas as medidas tomadas até então pela administração foram baseadas no diálogo e nas recomendações de diversos segmentos da sociedade.

Com base neste trabalho, foi criado o Comitê de Operações de Emergências (COEM), que tem como objetivo analisar os cenários e nortear a tomada das decisões. "Estamos agindo com muito critério e responsabilidade. E todos devem fazer sua parte", disse a prefeita, cuja opinião foi compartilhada pela comandante do 8º BPM. "Os comerciantes devem ser responsáveis também pelo cumprimento dos decretos e adoção de todas as medidas, evitando que ações mais duras tenham que ser tomadas lá na frente", avaliou o tenente-coronel França.


Para o empresário Vinícius Brandão, o encontro foi importante porque o empresariado entende as dificuldades que todos estão atravessando neste momento, mas que eles também podem contribuir com ideias para amenizar os impactos econômicos. "Não se tratam de questões políticas, entendemos as decisões da prefeita, mas também achamos o diálogo importante para que ela veja o nosso lado e ouça nossas propostas", finalizou.