Um taxista morreu na manhã desta terça-feira (12), no Hospital Regional de Eunápolis, com suspeita de Covid-19. A reportagem do RADAR 64 apurou que um teste rápido, feito pela Secretaria Municipal de Saúde, indicou que Sérgio Pinheiro, 45 anos, estava contaminado com o novo coronavírus.

Material genético colhido do paciente já foi enviado para o Lacen, o Laboratório Central de Saúde Pública da Bahia, em Salvador. Para o Ministério da Saúde, mortes por Covid-19 só podem entrar na estatística oficial se o exame for realizado pelos laboratórios centrais dos estados.

O taxista deu entrada no Hospital Regional de Eunápolis na noite de segunda-feira (11), com dificuldades para respirar. Na manhã desta terça, o quadro clínico de Sérgio se agravou e ele precisou ser ligado a um respirador.

"Imediatamente, foi iniciada também a solicitação de seu encaminhamento à Unidade Referência do Estado, o Hospital Luís Eduardo Magalhães", afirmou o secretário de Saúde, Jairo Júnior. Mas, pouco tempo depois, ele sofreu uma parada cardiorrespiratória e foi a óbito.

Colegas de trabalho disseram ao RADAR 64 que Sérgio tinha problemas cardíacos.


O paciente não estava sendo acompanhado pelo Comitê de Enfrentamento ao Coronavírus, pois não havia relatado às autoridades nenhum sintoma de Covid-19.

Sérgio era separado e deixa filhos. Ele morava no bairro Parque da Renovação e tinha um ponto de táxi na Avenida Duque de Caxias, centro da cidade.

Na noite de segunda, quando deu entrada no hospital, o taxista chegou a enviar um áudio acompanhado de uma foto para um amigo de profissão pelo WhatsApp. Em conversa com o RADAR 64, o amigo que recebeu o conteúdo falou que o taxista relatou, em tom de brincadeira, que o problema dele 'era de coração'.

Seguindo protocolos do Ministério da Saúde, não houve velório - não só para impedir aglomerações, como também para evitar contato com o corpo possivelmente infectado - e o enterro foi realizado com o caixão lacrado.