Três condutores de lanchas foram autuados na manhã desta terça-feira (05) por fazer o transporte de passageiros de Canavieiras para Belmonte. Os lancheiros descumpriram o decreto da Prefeitura de Belmonte, que proíbe, desde a segunda quinzena de abril, o transporte fluvial de passageiros.

Os lancheiros assinaram termos de conscientização. Conforme a Secretaria de Saúde, em caso de reincidência do descumprimento do decreto, haverá multa e apreensão da embarcação.

“Não estamos aceitando a entrada de pessoas por transporte fluvial, assim como Canavieiras também proibiu a entrada de lanchas de Belmonte. Além disso, Canavieiras já está com transmissão comunitária do coronavírus”, esclareceu o secretário de Saúde de Belmonte, Tárcio Andrade.

Muitos moradores pedem que a medida seja estendida para o transporte terrestre, já que uma barreira na entrada da cidade, na Barrinha, permite a entrada e saída de veículos.

“Pessoas que vieram de áreas com surtos não podem circular por Belmonte. Essas pessoas podem entrar na cidade, mas precisam ficar, pelo menos, 14 dias dentro de casa, sendo monitoradas pelas vigilâncias Sanitária e Epidemiológica. Continuaremos parcialmente flexíveis até que a situação do coronavírus permaneça controlada no município”, frisou o secretário.

Conforme a informação, também está proibida a entrada de mascastes na cidade. Apenas produtores da zona rural podem se deslocar até a sede do município.

Belmonte já teve dois casos confirmados de Covid-19. Uma pessoa já recebeu alta e outra, uma idosa de 82 anos, morreu vítima da doença. O município não registra novos casos da doença há 32 dias. O Governo do Estado chegou a liberar a circulação do transporte intermunicipal em Belmonte no fim de abril.