Fiscais das vigilâncias sanitárias do município e do estado realizaram uma inspeção na filial da Prosegur, centro de Eunápolis, na manha desta segunda-feira (20).

Foco de contaminação de todos os casos de coronavírus registrados até o momento na cidade, a empresa de transporte de valores foi interditada quinta-feira passada (16), por descumprimento de normas de isolamento.

Havia denúncia que a Prosegur havia retomado suas atividades normais nesta segunda, um dia antes do fim da medida expedida pela Vigilância Sanitária de Eunápolis.

Na ação, que contou com o apoio da Polícia Militar e da Guarda Municipal, os fiscais constataram que havia 15 pessoas trabalhando no local. Os funcionários foram levados para prestar esclarecimento na delegacia de Polícia Civil.

Só estava permitido o funcionamento da guarita, que agora, juntamente com o portão por onde entram e saem os veículos, também foi interditada.

A procuradora do município, Tatiane Vian, informou que já solicitou à empresa fornecimento da relação dos funcionários que estavam trabalhando nesta segunda-feira. Ela quer apurar se algum deles estava descumprindo as medidas de isolamento ou quarentena.

"Alguns deles viram da base de outras cidades, como Itabuna, para reforçar o trabalho aqui. Vamos investigar também se esses colaboradores cumprem alguma medida de isolamento em seus municípios", frisou a procuradora. A Vigilância Sanitária do município avalia se o prazo da interdição da Prosegur será prorrogado.

Nove funcionários da Prosegur testaram positivo para Covid-19, até domingo (19). Seis familiares destes trabalhadores também contraíram o vírus. Mas este número pode subir, pois são aguardados os resultados de outros exames.

A Prosegur informou que desenvolve um serviço considerado essencial e que já entrou na justiça pedindo a suspensão da interdição.