O momento em que o primeiro paciente diagnosticado com Covid-19 em Eunápolis recebeu alta foi marcado pela emoção. Um vídeo, gravado na manhã desta quarta-feira (22) no Hospital Ames, mostra o segurança de 40 anos levado na cadeira de rodas por um funcionário até a saída.

No caminho, os profissionais de saúde se reuniram para saudá-lo com palmas, formando um corredor, enquanto ele passava. Emocionado, o funcionário da Prosegur retribuiu os aplausos e fez gestos para demonstrar gratidão aos profissionais.

Segundo o médico Juliano Carvalho, diretor do setor de pneumologia do Ames, o paciente teve febre e comprometimento pulmonar e ficou 10 dias internado. "Mas ele não precisou ficar ligado a um respirador, na Unidade Tratamento Intensivo", frisa Juliano.

O paciente, ainda de acordo com o médico, se recuperou da Covid-19 e não apresenta mais nenhum sintoma. Mesmo assim, o médico o orientou a ficar em isolamento domiciliar, usando máscaras. O médico observou que a recuperação de pacientes com Covid-19 continua após a alta hospitalar.

Na imprensa e na comunicação dos governos, casos assim, de pessoas que foram diagnosticadas com a Covid-19 e depois se recuperaram da doença, têm sido mencionados como histórias de pessoas "curadas". No entanto, a cautela em falar em "recuperação" em vez de cura, como tem feito a Organização Mundial da Saúde (OMS), tem a ver com incertezas sobre o coronavírus, como, por exemplo, seu potencial de transmissão após o desaparecimento de sintomas em uma pessoa já diagnosticada e até mesmo dúvidas sobre se uma nova infecção é possível - incógnitas sobre um vírus cujo potencial de afetar humanos é, afinal, novo.

AMES RESERVA ALA - Juliano Carvalho observa que o Hospital Ames reservou uma ala e uma equipe exclusivamente para receber pacientes com coronavírus. "O hospital dispõe de UTI com 10 leitos e mais sete leitos comuns. Mas, no momento, não há nenhuma pessoa com Covid-19 internada nesta unidade", afirmou Juliano.