Foi confirmado, nesta quinta-feira (02), o segundo caso positivo de coronavírus em Santa Cruz  Cabrália. Segundo a Secretaria de Saúde do município, a paciente é uma adolescente de 16 anos. Ela é irmã de um jovem de 15 anos, que já havia testado positivo para covid-19, conforme exame divulgado na tarde de quarta.

Os dois, segundo a secretária de Saúde, Soraia Alves, podem ter sido infectados por outro irmão, mês passado, no Rio de Janeiro. "Sabendo que o irmão, com quem moravam, estava com o vírus, eles ficaram assustados e fugiram para a casa da mãe, aqui em Cabrália", afirmou a secretária.

Os irmãos chegaram a Cabrália em 14 de março. Quatro dias depois procuraram atendimento médico em uma unidade básica de saúde, pois apresentavam sintomas. Foi colhido material para exames.

De acordo com Soraia, os irmãos passam bem e estão em quarentena domiciliar. Ainda de acordo com ela, os três moradores da casa, a mãe, o padrasto e o irmão dos jovens que vieram do Rio também estão isolados. "Já colhemos material destas três pessoas e aguardamos o resultado dos exames", informou a secretária de Saúde.

Os cinco moradores da residência estão sendo monitorados por equipes da Vigilância Epidemiológica de Santa Cruz Cabrália. "Eles assinaram um termo, se comprometendo a não saírem da quarentena. Mas nossas equipes estão indo lá quatro vezes ao dia verificar se as medidas de isolamento estão sendo cumpridas", explicou a secretária.

Por conta dos casos confirmados de covid-19, o município de Santa Cruz também Cabrália também foi inserido no decreto do governo da Bahia que suspende a chegada de qualquer transporte intermunicipal, público e privado, rodoviário ou hidroviário, nas modalidades regular, fretamento, complementar, alternativo e de vans. Em Cabrália, a medida começa a vigorar a partir da 0h desta sexta-feira (03). O decreto estadual tem vigência até domingo, 5 de abril. O governador Rui Costa ainda não informou se o prazo pode ser prorrogado.

Nesta sexta-feira, a Prefeitura de Santa Cruz Cabrália também começa a realizar barreiras sanitárias nos locais de acesso à cidade. Um decreto municipal já havia proibido a abertura do comércio, permitindo somente o funcionamento de serviços essenciais.