Empresários, evangélicos e autônomos se reuniram em uma carreata pelas principais ruas de Porto Seguro, na tarde de quarta-feira (22). Com muitos participantes exibindo a bandeira do Brasil, o grupo percorreu o centro da cidade, bairro Campinho e BR-367 durante cerca de três horas. O ato, segundo os organizadores, reuniu cerca de 250 veículos.

Uma parte dos integrantes da carreata reivindicou a reabertura do comércio local. As empresas estão fechadas há mais de 30 dias e, conforme o último decreto, n° 10.749/20, que está vigente até o dia 02 de maio, só é permitido o funcionamento na modalidade delivery.

“Nos reunimos em um grupo de aplicativo de mensagens, denominado ‘Empresários Unidos’, com cerca de 1.500 membros, e nos organizamos para participar da carreata para chamar a atenção do poder público e da sociedade para a importância da reabertura do comércio, pois muitos empresários e autônomos já estão passando necessidade. Eunápolis e Itabuna possuem número de casos de coronavírus semelhantes aos de Porto Seguro e, mesmo assim, reabriram seus comércios”, frisou o empresário do ramos de construção civil, Welys Porto.

O empresário acrescentou que já precisou demitir um funcionário e recorrer ao programa do governo federal devido à queda da arrecadação da sua empresa.

Outro público presente da carreata foram os evangélicos que participariam do Congresso das Nações, marcado para a presente data. O evento religioso precisou ser cancelado por conta da pandemia da covid-19.

“Mesmo assim, líderes religiosos e muitos evangélicos vieram de várias partes do Brasil para Porto Seguro. Esse ato acontece todo ano, mas é uma caminhada. Neste ano resolvemos fazer uma carreata para proteger os participantes do coronavírus”, explicou um membro da organização o evento.